Cartas para Julieta

“O meu amor eu guardo para os mais especiais. Não sigo todas as regras da sociedade e às vezes ajo por impulso. Erro, admito. Aprendo, ensino. Todos erram um dia: por descuido, inocência ou maldade. conservar algo que faça eu recordar de ti seria o mesmo que admitir que eu pudesse esquecer-te”.

 

“Já se passaram 50 anos. É tarde demais.
Para o amor, nunca é tarde demais!”

Cartas para Julieta poderia ser apenas mais um filme para os românticos e apaixonados, porém, é muito mais que o amor entre duas pessoas. Percebemos em meio a lindas paisagens da Itália sentimentos como coragem, persistência, respeito, dignidade, cuidado, medo e muito mais do que as palavras possam colocar.

Quem de nós não se encanta ao ver um final feliz? Quem de nós não se emociona ao conhecer a história de Romeu e Julieta?

Tolos somos, quando não assumimos que uma história de amor nos encanta e mexe com nossos corações.

“E” e “Se” duas palavras simples e inofensivas como qualquer palavra.

 

Mas quando juntas “e se..” podem causar estragos inimagináveis.”

Cartas para Julieta conta história de Sophie (Amanda Seyfried), uma aspirante a escritora que viaja para a Itália ao lado do noivo Victor (Gael García Bernal), que sonha em ter seu próprio restaurante. Em Verona, onde se passou a história de Romeu e Julieta, local perfeito para uma lua de mel antecipada, Sophie acaba percebendo que seu noivo está mais interessado nos fornecedores para seu restaurante do que nela. Na cidade descobre uma antiga carta de amor e junta-se a um grupo de voluntárias responsáveis por responder estas missivas amorosas. Para sua surpresa, a remetente Claire Smith (Vanessa Redgrave) ouve o conselho dado na resposta e vai procurar Lorenzo, por quem se apaixonou na juventude. Mas existem muitos italianos com o mesmo nome e Sophie demonstra interesse em ajudá-la na tarefa, desagradando o neto Charlie (Christopher Egan), que já tinha reprovado essa louca aventura da avó viúva.

Em meio a essa busca de Claire pelo primeiro amor percebemos o carinho e a dedicação que o neto Charlie nutre pela avó. Embora discorde da busca em momento algum ele a deixa sozinha. De fato, o maior medo que Charlie tem é de que a avó – já com a idade avançada – não consiga suportar uma decepção.

 

 “Duvide que as estrelas sejam fogo. Duvide que o sol se mova. Duvide que a verdade seja mentirosa. Mas nunca duvide que eu te amo”.

Charlie desagrada totalmente do que Sophie fez, mas ao conviverem juntos durante a busca percebem o quanto tem em comum e isso os aproxima cada vez mais. E ao contrário de Romeu e Julieta o filme termina com final feliz, o que nos deixa encantados, pois no fundo sempre queremos ver um felizes para sempre.

O filme é um convite para voltarmos aos tempos de adolescentes e descobrirmos em meio a essa história de amor sentimentos tão esquecidos pelos homens de hoje.

 


FICHA TÉCNICA DO FILME

CARTAS PARA JULIETA

Diretor: Gary Winick
Elenco: Amanda Seyfried, Marcia DeBonis, Gael García Bernal, Giordano Formenti, Paolo Arvedi, Dario Conti, Ivana Lotito, Luisa Ranieri, Marina Massironi, Lidia Biondi, Milena Vukotic, Luisa De Santis, Christopher Egan, Vanessa Redgrave, Remo Remotti, Angelo Infanti, Giacomo Piperno, Fabio Testi, Sara Armentano, Benito Deotto, Marcello Catania, Silvana Bosi, Elio Veller, Sandro Dori, Adriano Guerri, Stefano Guerrini, Daniel Baldock, Franco Nero, Robbie Neigeborn, Hilary Edson, Ashley Lilley
Produção: Ellen Barkin, Mark Canton, Eric Feig, Caroline Kaplan, Patrick Wachsberger
Roteiro: Jose Rivera, Tim Sullivan
Fotografia: Marco Pontecorvo
Trilha Sonora: Andrea Guerra
Duração: 105 min.
Ano: 2010
País: EUA
Gênero: Romance
Distribuidora: Paris Filmes
Estúdio: Summit Entertainment / Applehead Pictures
Classificação: 10 anos

Rosely Camargo
Filha de Paraíso do Tocantins, membro fundadora da Academia de Letras de Paraíso do Tocantins - ALP. Autora dos livros: Meus Rabiscos (2004) e Com os Olhos da Alma (2013).