Harry Potter e o Enigma do Príncipe: a separatio no processo de individuação do herói

Harry Potter e o enigma do Príncipe é o sexto filme da franquia e se inicia logo após o confronto com Voldemort e os comensais da morte. Harry é levado por Dumbledore para o povoado de Buddleigh Baberton, onde conhece Horácio Slughorn, professor antecessor de Severo Snape de Poções da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts. Dumbledore o que de volta, pois o ex-professor possui em segredo muito importante.

Apesar do tom obscuro e do estado da nigredo permanecer no filme, a ênfase principal do filme é o crescente interesse de Harry por Gina Weasley. Potter já havia iniciado um encontro com o feminino nos filmes anteriores, mas com Gina está também em desenvolvimento o que na alquimia é conhecida como Coniunctio, o casamento sagrado. No filme a Câmara Secreta esse encontro já se anunciava. Potter mata o monstro e salva Gina.

Gina estava sendo controlada por Voldemort mostrando que a anima do herói estava enfeitiçada, ou seja, misturada com aspectos sombrios. Se em Câmara Secreta o lado feminino do herói se encontrava contaminado por elementos sombrios e precisou ser resgatada para que ocorresse a diferenciação desse componente psíquico. Em O enigma do Príncipe vemos Gina diferenciada e sendo por vezes auxiliar e inspiradora de Harry.

Pois bem com Gina mais amadurecida e diferenciada, Harry passa a estabelecer um relacionamento com ela. Mas antes de aprofunda no tema da coniunctio é importante salientar que Harry ainda está vivendo a sua nigredo, a noite escura da alma, e a mortificatio ainda está acontecendo. A morte ainda está presente em O Enigma do Príncipe.

Nessa continuação o professor Snape se mostra um traidor e que está aliado a Voldemort. Dumbledore ainda confia nele e o coloca no posto de professor de Defesa Contra as Artes das Trevas. A traição, o medo e a busca de defesa contra o lado sombrio do inconsciente. Psicologicamente o uso de magia é uma forma do ego se proteger daquilo que não conhece, ou seja, da força do inconsciente, a qual é assustadora para o ego.

Os povos mais primitivos se valiam muito de magia, mas ainda vemos resquícios das artes mágicas nas religiões e ordens esotéricas atuais. Apesar de nossa sociedade ocidental conscientemente ter evoluído em termos culturais, tecnológicos e intelectuais e de haver alcançado um nível de ciência que explica boa parte dos fenômenos, ainda estamos engatinhando quando o assunto é o inconsciente. Por mais que nos vangloriemos de ser uma sociedade evoluída intelectualmente ainda somos tomados por atitudes “mágicas” como forma de proteção. Fazemos isso quando queremos nos proteger do mau olhado, inveja e tomamos banhos, oramos, rezamos e fazemos alguns rituais para ocorra a proteção externa.

Carregamos de nossos ancestrais esse costume. Ainda está entranhado em nosso inconsciente esse pensamento mágico, fantasioso e mitológico e a saga Harry Potter nos mostra isso: em momentos de crise, quando ocorre um abaixamento do nível mental e da consciência do ego, regredimos a um nível mais arcaico e primitivo e essa herança, que faz parte de nossa história é acessada.

Harry descobre que Voldemort que usou um feitiço para se tornar imortal: maldição das Horcruxes. Horcruxes são objetos nos quais um indivíduo pode depositar parte de sua alma para continuar vivo caso seu corpo seja destruído. Isso é alcançado através do assassinato de uma pessoa. Voldemort, obcecado pela imortalidade, dividiu sua alma em sete pedaços, criando seis Horcruxes que se esconde nos seguintes locais: O diário de Tom Riddle; O anel de sua mãe, O medalhão de Salazar Sonserina; a taça de Helga Lufa-Lufa; O diadema de Rowena Corvinal e a serpente Nagini. Duas já foram destruídas (O diário e o anel), e uma terceira foi localizada: O medalhão.

Essa operação da Horcruxes simboliza a operação alquímica da separatio. A separatio consiste em pegar o composto conhecido como matéria prima, que se trata de uma confusa mistura indiferenciada. Em termos psicológicos significa a criação da consciência por meio da separação dos opostos. E o primeiro par de opostos com os quais nos deparamos é o Eu e o Não – Eu; Ego e inconsciente.

A separatio é por vezes acompanhada da mortificatio, ou seja, em toda separação há dor lamentação e perda. A separação da alma do corpo também é um símbolo dessa operação alquímica. Essa separação da alma de Voldemort significa que o conteúdo sombrio se dividiu ao atingir a consciência e agora pode ser digerido pelo ego. Pois assim como o organismo precisa quebrar as moléculas dos alimentos para que se possa fazer a absorção do que é necessário para o corpo e descartar os resíduos, os conteúdos do inconsciente precisam ser separados para que o ego assimile melhor os aspectos sombrios sem sucumbir a uma dissociação.

Além disso, a operação mortificatio ainda está em andamento e Dumbledore é morto por Severo Snape, que revela a Potter ser o Príncipe Mestiço. Harry, na aula de poções mágicas, começou a usar um livro que um dia foi propriedade desse Príncipe Mestiço. Graças a uma série de encantos e dicas escritas nos versos do livro, o herói torna-se o melhor aluno da classe e ganha do professor Slughorn um frasco de Felix Felicis, uma poção da sorte, que lhe auxilia na descoberta das Horcruxes.

Pois bem, a morte de Dumbledore, mostra que Harry está mesmo sozinho e precisará confrontar seus aspectos renegados e esquecidos sem ajuda mágica. Quanto ao Príncipe Mestiço, ainda paira um segredo sobre essa figura que será revelado nos próximos filmes, pois o mesmo possui uma atitude bem ambígua: ele mata Dumbledore, mas acaba auxiliando Potter com as dicas no livro. Ele de fato, sabia que o livro cairia nas mãos do menino bruxo.

A separatio é uma operação alquímica que prepara para a coniuctio superior, ou seja, para o casamento do Sol e da Lua, masculino e feminino e a junção e para a ampliação de consciência. Resta saber se Potter irá suportar essa separação de opostos e a mortificatio que lhe acompanha.

REFERÊNCIAS:

EDINGER, E. F. Anatomia da psique: O simbolismo alquímico na psicoterapia. São Paulo, Cultrix: 2006.

JUNG, C. G. Psicologia e Alquimia. Petrópolis, RJ: Vozes, 1990.

VON FRANZ, M. L. Alquimia – Introdução ao simbolismo. São Paulo, SP: Cultrix, 2004.

FICHA TÉCNICA

HARRY POTTER E O ENIGMA DO PRÍNCIPE

Adaptação de: Livro Harry Potter e o Enigma do Príncipe
Direção: David Yates
Duração: 2h 33m
Série de filmes: Harry Potter
Ano: 2009

Hellen Reis Mourão
Psicanalista Clínica com pós-graduação em Psicologia Analítica pela FACIS-RIBEHE, São Paulo. Especialista em Mitologia e Contos de Fada. Colaboradora do (En)Cena.