IT, A Coisa: o medo sob diversas óticas

Baseado no livro de mesmo nome, do renomado escritor de terror e ficção, Stephen King, o filme It, A coisa (capítulo 1), foi lançado em 2017, sob direção de Andy Muschietti e conta a história da cidade fictícia de Derry, nos Estados Unidos, aonde uma série de desaparecimentos e assassinatos de crianças vem ocorrendo de forma intensa. O filme também conta a história de um grupo de crianças que se denomina de Clube dos Otários, por sempre ser o alvo de Bullying de alunos mais velhos na escola em que estudam. O grupo é formado por Bill, Richie, Ben Mike, Stan, Eddie e Beverly.

Em “It”, o medo infantil é o ponto chave de desenvolvimento da história, sendo explorado em vários momentos do filme assume vários significados e formas, de traumas e tragédias até pequenos medos/perturbações do cotidiano das crianças, fato que demonstra o conhecimento sobre o medo e o poder de Pennywise. A própria forma que o personagem apresenta com mais frequência, a de um palhaço, é um retrato do medo na infância, pois a figura já ligada à infância é apresentada com características demoníacas e assustadoras.

Pennywise. Fonte: https://goo.gl/ikv8qr.

Na história, como já mencionado, as crianças do “Clube dos Otários” sofrem bullying de uma gangue de garotos mais velhos, sendo isso um dos medos que permeiam o dia a dia do grupo de amigos. Pennywise chega a manipular Henry, o líder da gangue, para atacar as crianças, quase no final do filme, provando assim sua capacidade de trazer à tona todo e qualquer elemento causador de sofrimento nas suas vítimas, as crianças.

 

Os próximos parágrafos contém Spoilers, tome cuidado!

No começo do filme, vemos Stanley, uma das crianças, passar por um quadro de uma mulher de rosto pálido e com olhos vazios, figura que incute nele certo medo. Basta isso para Pennywise materializar-se na forma da mulher e assustar o menino. Mas, por exemplo, com Bill, o medo provocado por Pennywise quase sempre girava em torno da morte de seu irmão Georgie, evento trágico e traumático. Essas possibilidades de explorar o medo são um dos pontos fortes da obra.

Além do processo de fuga frente ao medo, “It” também retrata com maestria os momentos de luta, em que as crianças, conscientes de seus medos e já dispostas a superá-los, confrontam Pennywise, que, sem o medo das crianças para se alimentar, sente medo de passar fome, e justamente nessa etapa é vencido. Beverly, que sentia medo do comportamento abusivo do pai, é a primeira a deixar suas perturbações para trás e confrontar Pennywise com coragem. Bill, por sua vez, se desvincula da imagem de Georgie quando Pennywise se materializa nele pela última vez, deixando também a tragédia pra trás pela primeira vez. As outras crianças, em meio às inúmeras mutações de Pennywise, uma por uma são tomadas pela coragem e deixam seus medos para trás, e assim somos apresentados ao fim de Pennywise, pelo menos o fim de um dos seus ciclos de alimentação.

IT, A Coisa (Capítulo 1) se destaca não somente por ser um filme de terror, mais também pela forte química entre as crianças, o fato de eles se ajudarem nos momentos de crise, a força de vontade de Bill a encontrar seu irmão desaparecido, e também pela motivação de cada um do Clube dos Otários a destruir Pennywise, para que nenhuma outra criança tenha um fim lastimável, como o de Georgie.

O filme, mesmo sendo de terror, consegue tirar boas hahas (opa, referência) do público. Assim, esperamos que o capítulo 2, além de mostrar os Otários já adultos, aborde a origem de Pennywise e sobre o seu maior inimigo, que apenas apareceu como easter egg no filme, Maturin, a Tartaruga, personagem que aparece também na série de livros, A Torre Negra. A Tartaruga não aparece na adaptação de 1990, no entanto, seria um bom tema a ser explorado no segundo filme.

Apesar de “IT, A Coisa” ser incrível, acredito que seja importante recomendar a leitura do livro. É um dos maiores livros de Stephen King, com mil páginas, no entanto, a leitura não é cansativa, e quando nos envolvemos no universo de Derry, já se passaram 500 páginas. A escrita de King, é bem detalhada, e chega a ser uma das inúmeras razões para você começar a ler o livro, durante as férias, é claro.

(…) Está tudo aqui, como uma bolha enorme crescendo na minha cabeça. Mas vou, porque tudo que já consegui e tudo que tenho agora está ligado ao que fizemos naquela época, e você paga pelo que recebe neste mundo. Talvez seja por isso que Deus nos fez crianças primeiro e nos colocou mais perto do chão, porque Ele sabe que é preciso cair muito e sangrar muito pra aprender essa simples lição. Você paga pelo que recebe, você é dono daquilo pelo que pagou… e mais cedo ou mais tarde, o que é seu volta pra casa, pra você.” p.88. Trecho do livro no qual Ben, já adulto, decide enfrentar a Coisa novamente ao lado de seus amigos.

FICHA TÉCNICA

Fonte: https://goo.gl/f1hBxX.

Titulo original: It

Gêneros: Terror, Drama, Suspense

Nacionalidade: EUA

Data de lançamento: 7 de setembro de 2017

Duração: 135 min

Direção: Andy Muschietti

Roteiro: Chase Palmer, Gary Dauberman, Stephen King

Produção: Barbara Muschietti, Dan Lin, David Katzenberg, Roy Lee, Seth Grahame-Smith

Breno Leonardo
Acadêmico de Psicologia do CEULP/ULBRA.
Autor / Co-Autores: e
  • Antônio Carlos Mota Junior

    Eu ri muito assistindo esse filme, recomendo!