o aviador

O Aviador: uma viagem sem fim

Fonte: http://www.guiadasemana.com.br/system/pictures/2013/3/69063/cropped/aviator2.jpg

‘O aviador’ é um filme que retrata a história de Howard Hughes (Leonardo DiCaprio), um nativo do Texas milionário graças a herança deixada pelo pai inventor que fez com que Howard herdasse 75% das ações de sua empresa. Howard se tornou um cineasta ganancioso e um dos pioneiros da aviação nos Estados Unidos. O longa aborda sua vida que em meados de 1930, após se apropriar da herança do pai, se muda para Los Angeles onde passa a investir na indústria do cinema e produz o filme Hell’s Angels. Além de produtor e realizador de feitos épicos em Hollywood, Hughes desenha e cria inimagináveis invenções aeronáuticas.

A trama revela que o mesmo relacionou-se com as mulheres mais cobiçadas da época. Mas o filme também retrata as incapacidades e fobias do protagonista e as suas crescentes extravagâncias e obsessivo comportamento vão levando aos poucos ao seu próprio isolamento. Ele se trancava no quarto sem roupas, evitava qualquer bactéria presente até mesmo no ar, não suportava sujeira, mantinha suas unhas maiores que pinças, esses e outros comportamentos fez com que gradativamente ele se mantivesse mais afastado de tudo e de todos. Marcado também pela extrema audácia, Howard era piloto e testava seus próprios aviões, sofria acidentes, não tinha medo de nada, logo se tornou um comandante da aviação comercial devido aos seus feitos e planos. Ele se tornou uma figura épica envolto em uma trajetória de sedução, mistério, agitação e fobias. O filme nos envolve em situações de dinheiro em abundância, festas, mulheres belas, mas o ponto que talvez se mostre mais interessante é o desenvolvimento do transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) em Howard.

O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) presente dentre os transtornos de ansiedade no DSM-IV, se caracteriza por ideias, pensamentos, imagens ou impulsos repetitivos e persistentes que eliciam situações de ansiedade, em que o individuo busca suprimir os pensamentos obsessivos com outros pensamentos ou ações. O transtorno também cruza com as compulsões, que são comportamentos repetitivos que visam minimizar as obsessões, porém ambas formas um ciclo vicioso difícil de ser quebrado pelo sujeito em questão. Sendo que se podem considerar mais comuns obsessões como: preocupação com sujeira, medo de acontecimentos aterrorizantes, preocupação com simetria e as compulsões cursam com lavagem de mãos, verificação de portas, contagem excessiva, dentre outros.

Fonte: https://braavos.files.wordpress.com/2013/01/o_aviador_01.jpg

Dentre os tipos de obsessões e compulsões o filme retrata com perfeição as compulsões de limpeza de Howard, que assim como a maioria dos casos diagnosticados começou na infância e até por assimilação de hábitos maternos. Com a evolução da trama e o amadurecimento do mesmo fizeram com que a obsessão não fosse controlada dificultando cada vez mais o convívio social devido as constantes compulsões, até tal ponto em que Howard não se vê mais controlador das situações, se tornando um tanto quanto insano. Sendo retratado ao final do filme em que todo luxo e vitalidade de Howard são substituídos por lenços de papel, divisórias separando ambientes menos infectados e um ser apático e fracassado.

De forma geral o filme serve não somente para o conhecimento da ilustre história do visionário Howard Hughes, mas também para o conhecimento e acompanhamento evolucional de um transtorno de ansiedade. Sendo que a incontrolável ganância e exageros que o envolveram na mídia e o fizeram um homem de sucesso, evoluíram de forma patológica transformando o mesmo em um recluso esquecido.

Embarque você também nesse voo.

FICHA TÉCNICA DO FILME

O AVIADOR

Diretor: Martin Scorsese
Elenco: Leonardo DiCaprio, Cate Blanchett, Kate Beckinsale, Gwen Stefani, Adam Scott, Ian Holm, Willem Dafoe, Jude Law, Rufus Wainwright.
Produção: Sandy Climan, Charles Evans Jr., Graham King, Michael Mann
Roteiro: John Logan
Fotografia: Robert Richardson
Trilha Sonora: Howard Shore
Duração: 170 min.
Ano: 2004
País: EUA/ Japão
Gênero: Drama

PRÊMIOS

– Em 2005, conquistou os Oscars de Direção de Arte, Fotografia, Figurino, Edição, Atriz Coadjuvante (Cate Blanchett) e foi indicado aos de Direção, Mixagem de Som, Melhor Filme, Ator (Leonardo DiCaprio), Ator Coadjuvante (Alan Alda) e Roteiro Original

– Em 2005, conquistou o Bafta Film Award de Melhor Filme, Maquiagem, Atriz Coadjuvante (Cate Blanchett), Design de Produção e foi indicado aos de Efeitos Visuais, Fotografia, figurino, Edição, Ator (Leonardo DiCaprio), Roteiro Original, Som, o Anthony Asquith Award de Música em Filme e ao David Lean Award de Direção

– Em 2005, conquistou o Globo de Ouro de Melhor Filme – Drama, Ator (Leonardo DiCaprio) e foi indicado aos de Direção, Ator Coadjuvante (Cate Blanchett) e Roteiro

– Em conquistou o MTV Movie Award de Melhor Ator (Leonardo DiCaprio) e foi indicado ao de Sequência de Ação