O Exótico Hotel Marigold: vida que pulsa na Terceira Idade

Muita gente ainda não se deu conta de que o avanço da idade e, em alguns casos, as limitações físicas impostas pelos anos, não são fatores que necessariamente limitam a vontade de viver, viver intensamente uma vida que pulsa e que ainda tem muito a oferecer. E é essa a abordagem do filme “O Exótico Hotel Marigold” (2011), dirigido por John Madden (Shakespeare Apaixonado e A Grande Mentira) e que contou com as belíssimas atuações de Judi Dench (personagem de Evelyn Greenslade), Tom Wilkinson (que faz Graham Dashwood) e Dev Patel (Sonny), entre outros.

 

A narrativa é baseada no livro “These Foolish Things” da inglesa Deborah Moggach, e apesar de os personagens viajarem à Índia por motivos pessoais diferentes – que variam de uma busca por tratamento médico a uma oportunidade de resolver problemas amorosos -, no fundo acaba por retratar que os sonhos, as paixões e as perspectivas não se exaurem com o avançar da idade.

No Hotel Marigold, os hóspedes “deslancham” uma série de tramas que, em alguma medida, se transformam numa espécie de acerto de contas com o passado, um “desanuviar” da mente ao estilo “Comer, Rezar e Amar” cujo objetivo é fazer “ritos de passagem” que, em outras circunstâncias e perto da parentela, certamente não seriam executados. Aos poucos os personagens vão “tirando os pesos de suas costas”, tomando decisões que já deviam ter sido tomadas e, por fim, optando pelo valioso momento presente.

 

 

Mas as mudanças cobram o seu preço. Nos prós e contras de cada escolha, alguns preferiram o conforto de suas rotinas na Inglaterra a ter que enfrentar o esforço da adaptação na Índia. Outros viviam das lembranças do passado. Nestas circunstâncias, desistir é a alternativa aparentemente menos assustadora. De forma geral, no entanto, e para aqueles que persistiram no “domínio do desconhecido”, que perceberam a grande aventura que é a própria vida, o longa mostra que esta busca genuína pela felicidade pode ser um combustível poderoso para ampliar a visão de mundo, abrir-se para o diferente e, por que não, dar espaço para que o coração amoroso receba alento.

Apesar de alguns críticos apontarem a ausência de profundidade nas estórias (o que o livro, comentam, faz com maestria), “O Exótico Hotel Marigold” é um filme muito simpático, sobretudo pela atuação de Dev Patel (estrela de dois outros conhecidos longas: “Quem Quer Ser Um Milionário? [2008]” e “O Último Mestre do Ar” [2010]), que incorpora o visionário Sonny, idealizador do hotel para a terceira idade, e que mesmo fazendo uma propaganda nada verossímil do local, acaba por conquistar boa parte dos hóspedes ao demonstrar uma incomum sensibilidade no trato com as pessoas.

Por evidenciar uma vontade de fazer a coisa certa, e ao enfrentar os crescentes problemas de estrutura do hotel, que ocupa uma antiga construção da sua família, a atuação de Sonny, de certa forma, representa uma analogia à própria reinvenção da vida dos idosos/hóspedes, ainda efervescentemente ativos “em suas construções internas/mentais”, mas que veem seus corpos gradativamente perderem o ritmo de outrora. No entanto, é possível fazer muito com o “pouco” que lhes resta. O próprio romance de Sonny com uma jovem de sua região, e os desafios que tem de enfrentar para levar os projetos pessoais e o relacionamento amoroso à frente, também se apresenta como síntese dos encontros e desencontros da longa existência daqueles hóspedes que se aproximam do fim da “jornada”, mas que nem por isso se eximem de viver, de amar.

 

 

O filme, dentre outras coisas, mostra uma tendência já comum na Europa, que é a existência de hotéis especializados em lidar com pessoas da terceira idade que se prepararam para passar a aposentadoria longe dos familiares (isso quando têm família). São lugares que procuram ao máximo preservar a autonomia e privacidade dos idosos, tratando-os com dignidade e respeitando suas demandas, algumas delas não muito diferentes daquelas apresentadas em suas tenras idades. Afinal, quem disse que idoso não pode se apaixonar?

Esta tendência, aos poucos, também aparece no Brasil. No interior de São Paulo, em Balneário Camboriú (SC) e em alguns bairros do Rio de Janeiro, como Copacabana, por exemplo, já existem muitos locais específicos para que os idosos possam passar a aposentadoria. E capitais do Nordeste como Fortaleza (CE) e João Pessoa (PB) já são apontadas por algumas publicações especializadas do exterior (Internacional Living) como lugares apropriados para se viver a terceira idade.

Os preços e as condições físicas de cada local são os mais variados possíveis, para atender a todas as condições sociais. Provavelmente esta é uma tendência irreversível para um país que envelhece a passos largos e que, de acordo com os últimos dados do IBGE, conta com aproximadamente 3 milhões de idosos que moram sozinhos, num universo de 14,9 milhões nesta faixa etária em 2013. E o mesmo IBGE projeta que, até 2060 esta população irá quadruplicar, chegando à casa dos 58,4 milhões de pessoas, ou 26,7% da população total.

“O Exótico Hotel Marigold” é um convite para que se observe a pessoa além da sua idade, já que também há na velhice uma efusiva construção de subjetividade que não pode se tornar objeto de preconceito e/ou discriminação, que não pode ser negligenciada. Afinal, não existem barreiras para quem quer apossar-se da felicidade, seja em qual idade estiver.

REFERÊNCIAS:

João Pessoa e Fortaleza entre as melhores cidades do mundo para desfrutar aposentadoria. Disponível em:<http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/nordeste/noticia/2012/08/01/joao-pessoa-e-fortaleza-entre-as-melhores-cidades-do-mundo-para-desfrutar-aposentadoria-358580.php  >. Acesso em 25/01/2014.

Velhice sem tabus: quase 3 milhões de idosos moram sozinhos no Brasil – Disponível em: <http://sites.uai.com.br/app/noticia/saudeplena/noticias/2014/01/11/noticia_saudeplena,147017/velhice-sem-tabus-quase-3-milhoes-de-idosos-moram-sozinhos-no-brasil.shtml >. Acesso em: 25/01/2014.

Número de idosos no Brasil vai quadruplicar até 2060, diz IBGE – Disponível em: <http://www.bbc.co.uk/portuguese/noticias/2013/08/130829_demografia_ibge_populacao_brasil_lgb.shtml>. Acesso em: 25/01/2014.

O Exótico Hotel Marigold – Disponível em: < http://www.adorocinema.com/filmes/filme-186338/ >. Acesso em: 25/01/2014.

 

FICHA TÉCNICA:

O EXÓTICO HOTEL MARIGOLD

Título Original:The Best Exotic Marigold Hotel
Dirigido por:John Madden
Elenco: Judi Dench, Maggie Smith, Bill Nighy, Penelope Wilton, Tom Wilkinson, Ronald Pickup, Celia Imrie
Duração: 124 minutos
Classificação: 10
Gênero: Comédia/Drama
Ano: 2012
País: Reino Unido

Sonielson Luciano de Sousa
Bacharel em Comunicação Social (CEULP/ULBRA), filósofo (Univ. Católica de Brasília), pós-graduado em Docência Universitária, Comunicação e Novas Tecnologias (Unitins), estudante de Psicologia (CEULP/ULBRA), especialista em Jornalismo Cultural, é editor do jornal e site O GIRASSOL, colaborador do (En)Cena e do Portal Educação, e atua como coach (SBC-SP).
Autor / Co-Autores: