“O Lorax” e a moral da sustentabilidade

O filme O Lorax em Busca da Trúfula Perdida é uma obra do conhecido Theodor Seuss Geisel, Dr. Seuss, autor de inúmeros contos infantis, entre os mais conhecidos estão “Como Grinch roubou o Natal”, “O Gato da Cartola” (também adaptado ao cinema no clássico filme O Gato) , dentre outros. Suas obras são conhecidas por tenderem ao exagero para chamar a atenção para moral que se quer passar e por, normalmente, serem bem coloridas e alegres.

 

 

O filme se passa em uma cidadezinha chamada Thneedville, onde não existem árvores de verdade, pois estas foram completamente destruídas, e consequentemente o ar que respiram é artificial e comercializado pela empresa O’hare, e logo na abertura os personagens desta história cantam uma canção, demonstrando o quão felizes são em morar em Thneedville. Desde as árvores coloridas e dos mais diversos modelos, até mesmo os alimentos, são fabricados com plástico e o ar vendido pelo vilão da história, Sr. O’hare, é distribuído em galões próprios para se encaixarem em uma espécie de “respirador” que exala o ar puro dentro das casas.

 

Apesar do nome do filme, o personagem principal não é o Lorax, mas sim um jovem absolutamente comum chamado Ted, apaixonado por uma garota, Audrey, que sempre desejou ter uma árvore de verdade. Em seu desejo por demonstrar seu amor, Ted burla as regras e sai da cidade, em busca do Umavez-ildo que, segundo as histórias de sua avó, saberia lhe dizer o que aconteceu com todas as árvores.

O cenário fora da cidade é outro; triste, destruído e devastado, não existe nada além de cinzas e um cheiro podre e o ar irrespirável. Ted encontra, então, o Umavez-ildo morando em uma casinha afastada e solitária, com várias placas pelo caminho demonstrando que visitas não são bem-vindas. Umavez-ildo conta sua história, quando há muito tempo era um jovem ambicioso procurando inspiração para sua obra-prima, uma criação banal, para provar seu valor à sua família e ao mundo.

 

 

Em sua busca, encontra um lugar repleto de trúfulas coloridas (espécie de árvore parecida com algodão-doce) e animais alegres que o recebem com uma música de boas-vindas. Sem pensar nas consequências de sua atitude, e desejando o material para sua criação, Umavez-ildo derruba a primeira trúfula, e libera uma criatura mágica, o guardião da floresta chamado Lorax, uma criatura laranja decidida a proteger a floresta da ganância do homem.

Após uma longa conversa, e depois de muita confusão, Lorax convence Umavez-ildo a não derrubar mais árvores. No entanto, em uma ida a uma cidade, Umavez-ildo consegue lucrar vendendo sua obra-prima e fica cego de ambição, esquecendo-se da promessa feita a Lorax e derrubando todas as árvores existentes. Os animais que ali habitavam começam a ir embora, pois suas casas e alimentos foram roubados e destruídos, e Umavez-ildo fica sozinho em um ambiente devastado, pois não tinha mais matéria-prima para fazer sua obra e não tinha mais amigos e família, que só queriam estar com ele por interesse em seu dinheiro.

 

 

Após contar sua história, Uma vez-ildo entrega a Ted a última semente de trúfula, e o incube de plantá-la no meio de Thneedville, onde todos possam ver e relembrar-se do quão importante é a natureza para nossa subsistência. Após muita luta e muitas dificuldades, pois, ao saber dos planos de Ted, o Sr. O’hare sentiu que seu negócio de lucro estaria ameaçado com a volta das árvores para a cidade e impediu que este feito fosse realizado, Ted conta com a ajuda de Audrey e finalmente conseguem plantar a árvore na praça central da cidade e conscientizar os moradores da importância em preservar a natureza.

 

Com um enredo de fácil compreensão, o filme O Lorax agrada às crianças com seu cenário colorido e criatura mágicas, e aos adultos através da moral da história, que vem para demonstrar a importância da natureza para os seres humanos como pertencentes ao meio ambiente, e o que a ganância do homem pode acarretar. Podemos pensar, também em um contexto mais amplo, na industrialização irresponsável e consequente desmatamento desenfreado, que tem tornado o ar cada vez mais poluído e ocasionado doenças respiratórias cada vez mais graves.

 

 

Não é à toa pensar que logo teremos uma empresa multinacional vendendo “ar puro” para gerar lucros às custas de nossa saúde e bem-estar e construindo mais fábricas para tornar o ar cada vez mais rarefeito, de modo a induzir o consumo de seu produto. O Lorax é, sem dúvida, um filme para todas as idades e, quem sabe, as crianças possuam uma capacidade de absorver melhor a moral que o filme desejou transmitir e possa perpetuar para as próximas gerações.

 

FICHA TÉCNICA

O LORAX: EM BUSCA DA TRÚFULA PERDIDA

Direção: Kyle Balda, Chris Renaud
Música composta por: John Powell
Duração: 95 minutos
Anos: 2012