Importância e desafios da extensão na universidade

Os trabalhos de pesquisa e extensão são alguns dos mais importantes desenvolvidos dentro das universidades, pois aproximam o estudante da realidade e dos problemas sociais, propicia o crescimento acadêmico e profissional, além de ser extrema importância para a construção do conhecimento científico.

O Centro Universitário Luterano de Palmas (Ceulp/Ulbra) é pioneiro na pesquisa acadêmica e projetos de extensão na região Norte do País e busca cada vez mais o aprimoramento. Recém-nomeado no cargo de coordenador de Extensão e Assuntos Comunitários do Ceulp, o Prof. Msc. Luiz Gustavo Santana conversou com o (En)Cena e falou sobre os projetos que são realizados pela Instituição e os desafios que estão surgindo.

(En)Cena: Primeiramente, como funciona o projeto de extensão do Ceulp/Ulbra?

Luiz Gustavo Santana: A Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) e todas as demais unidades vinculadas à AELBRA, entre elas o Centro Universitário Luterano de Palmas (Ceulp), no que diz respeito à extensão universitária materializam as diretrizes da Política Nacional de Extensão Universitária e são diretamente norteados por um Regulamento de Extensão e Assuntos Comunitários.

Na prática, a extensão universitária é entendida pela Instituição como um processo interdisciplinar, educativo, cultural, científico e político que promove a interação transformadora entre Universidade e outros setores da sociedade, sob o princípio constitucional da indissociabilidade e articulação com a pesquisa e o ensino; desenvolvido solidariamente articulado entre Pró-reitoria de Extensão e a Coordenação de Assuntos Comunitários. Neste espaço são desenvolvidas as atividades, eventos, programas e projetos de extensão universitária que vão contribuir com estes objetivos indicados. Lembrando que todas as atividades de extensão, no âmbito do Ceulp são regidas pela Coordenação de Extensão.

(En)Cena: Quais as modalidades de extensão desenvolvidas no Ceulp atualmente?

Luiz Gustavo Santana: Os projetos de extensão do Ceulp são desenvolvidos, atualmente, em quatro modalidades. a) Programa – Conjunto de ações de caráter orgânico-institucional, de médio a longo prazo, com clareza de diretrizes e orientadas a um objetivo comum; b) Projeto – Conjunto de ações processuais e contínuas de caráter educativo, social, cultural, científico ou tecnológico para alcançar um objetivo bem definido. Estes podem ser projetos comunitários, projetos de prestação de serviço, projetos de prática profissional, projetos voluntários e projetos da pastoral; c) Curso de Extensão – Esta atividade pressupõe um conjunto articulado de ações pedagógicas, de caráter teórico ou prático, planejadas e organizadas de modo sistemático; d) Evento de Extensão – ação que implica na apresentação e exibição pública e livre, ou, também, com clientela específica do conhecimento ou produto cultural, científico e tecnológico, desenvolvido, conservado ou reconhecido pela Universidade: congresso; fórum; seminário; semana; exposição; espetáculo; evento esportivo; festival ou equivalentes.

Algumas modalidades atendem a oferta via edital e outros são e/ou podem ser ofertados durante o ano todo, mediante cadastro na Coordenação de Extensão do Ceulp.

(En)Cena: Qual a importância do programa de extensão para a universidade, para o aluno e para a sociedade?

Luiz Gustavo Santana: A extensão universitária enquanto forma de estabelecer uma relação entre ensino superior e sociedade é imprescindível para formar cidadãos comprometidos com a realidade social. Nesse sentido, a extensão merece por parte das universidades particulares e públicas, assim como dos gestores, atenção e apreço. A extensão possibilita a formação do profissional cidadão e se credencia, cada vez mais, junto à sociedade como espaço privilegiado de produção do conhecimento significativo para a superação das desigualdades sociais existentes, como prática acadêmica que interliga a Universidade nas suas atividades de ensino e de pesquisa, com as demandas da maioria da população.

Atualmente, o Ceulp, por meio da Coordenação de Extensão e Assuntos Comunitários, vem desenvolvendo mais de 20 projetos na modalidade de Projetos Comunitários, mais de seis Projetos de Prestação de Serviços e inúmeros eventos e cursos de extensão.

(En)Cena: Quais os desafios dos projetos de extensão no nosso Estado.

Luiz Gustavo Santana: O grande desafio delegado à Extensão Universitária no Ceulp e na realidade da Universidade no país é transpor à condição de mera promotora e gestora de eventos para assumir a figura partícipe na estrutura de uma universidade, ao lado do ensino e da pesquisa. A extensão pode e deve se aproximar e atender demandas da realidade local e do país.

As experiências e discussões em torno da extensão universitária demonstram historicamente o seu relativo distanciamento da realidade social do país. Se  Se cairmos nas armadilhas contemporâneas que assolam a extensão estaremos impedindo que ela possa assumir um papel transformador, sobretudo da dura realidade de parcelas ainda majoritárias de jovens brasileiros que não têm acesso ao ensino superior e tampouco têm garantidos seus direitos mais essenciais.

(En)Cena: Professor Luiz Gustavo, você assumiu a coordenação a pouco tempo. Qual missão foi dada a você quando assumiu o cargo?

Luiz Gustavo Santana: A gestão das ações inerentes à extensão universitária representa uma tarefa de grande importância e complexidade na dinâmica institucional, por estar associada às ações de pesquisa e ensino. Assumi a Coordenação em janeiro de 2015 e entre muitas atividades me foram delegadas as tarefas de coordenar a aplicação das políticas e diretrizes extensionistas oriundas da Pró- Reitoria Adjunta de Extensão e Assuntos Comunitários; assessorar a Comissão Permanente de Avaliação Institucional (CPA-ULBRA) nos quesitos pertinentes ao cumprimento das ações extensionistas previstas na legislação, nos processos de avaliação institucional, de cursos e de atualização do Plano de Desenvolvimento Institucional- PDI; promover reuniões periódicas com os seus colaboradores, a fim de manter a atualização da gestão em relação às atividades de extensão, promovendo a união e coesão da equipe em torno da missão e dos objetivos das ações extensionistas; emitir parecer e avaliação sobre o que lhe for solicitado em assuntos de extensão; estimular e incentivar professores para o desenvolvimento de ações extensionistas, criando mecanismos para a implementação e difusão desse trabalho, entre várias outras atribuições.