Manicômios Judiciários: manifesto pelo óbvio!