As marcas do tempo

Vejo algumas fotografias e me pergunto quantas histórias podem estar ali embutidas. Reparo nos detalhes, nas cores, nos reboques, nos desgastes e penso nas inúmeras vidas que já compuseram tais cenas. Muitas dessas vidas pensadas se foram tão rápido quanto meu pensamento. Mas alguns feitios (ou resquícios deles) ainda permanecem, tal qual a minha escrita. Cada parede descascada me diz de mãos que por ali passaram, pintaram, consertaram, coloriram e restauraram existências enquanto puderam. Cada telha quebrada me diz que além da vida há e sempre haverá o tempo e as marcas que ele, indubitavelmente, nos deixa. O tempo é um moldador. Escreve-nos, apaga-nos. Marca-nos. As cenas a seguir mostram algumas marcas feitas pelo tempo. As cenas a seguir são marcas que alguém ao tempo deixou.

Ângela Marques

Irenides Teixeira
Psicóloga, Fotógrafa, graduada em Publicidade e Propaganda com mestrado em Comunicação e Mercado. Doutora em Educação pela UFBA (2014). Atualmente é professora e coordenadora do Centro Universitário Luterano de Palmas nos cursos de Comunicação Social e Psicologia.  E-mail: irenides@gmail.com
Autor / Co-Autores: