Desespero

Deixe-me aqui, sozinha. Estática…Sem força.

Por Virgínia Carvalho
(Acadêmica de Publicidade e Propaganda do CEULP/ULBRA)

Deixe-me aqui, sozinha
Estática
Sem força, mofina
Estranhada, apática e
Sem saídas.
Parto, minha dor,
Encerrada e
Rendida.
Ostra-fechada em minhas lágrimas.