Escritos sensíveis à luz

“mais do que esperar, essa gente canta só pra ver a manhã clarear.”

Por Célio Pedreira

Médico e escritor. Portuense nascido goiano e crescido tocantinense. Lavrador de escritos em prosa e poesia, principalmente. Eleito em 2010 para um assento na Academia Tocantinense de Letras. Publicou em 2002 seu primeiro livro de poesias “Porta” indicado para o vestibular 2003 da Universidade do Tocantins. Em 2009 publicou sua primeira prosa “Agudas e Crônicas”.