Fugacidades

“…só quem tem um quê de esperteza consegue fotografar.”

 Por Paulo Henrique de Lima

De Paraiso.

 

Fotografar é um hobbie que me consomem valiosas inúteis horas de tédio. E normalmente só se encontra em estado de tédio quem tem como essência ser preguiçoso. E sou essencialmente preguiçoso. E pessoas essencialmente preguiçosas tendem a ser essencialmente espertas.

Fotografia é uma das mais fáceis artes existentes. Basta apenas um apertar de botão para se criar. Nada de ter que procurar misturar cores até atingir o tom desejado da tinta, o passo perfeito de uma dança, a frase correta de um poema, a expressão mais convincente de uma peça teatral. É clicar e pronto.

Não há persistência, mas necessita ter paciência. Pois fotografia é para pessoas inteligentes. Sim, só quem tem um quê de esperteza consegue fotografar. E é um ótimo exercício para adquirir, ou simplesmente adestrar, a inteligência. A fotografia necessita de treinamento. Só um esperto consegue entender as cores, enxergar as linhas, detectar os contrastes e, ainda, conseguir juntar todos esses trecos em um arquivo digital que perderá muita qualidade que nossos olhos tão perfeitos enxergaram antes de tudo. Fotografia é para talentosos. E um dia eu quero ser fotógrafo que se gaba de ser inteligente.

Enfim, a fotografia é rápida como este texto que não tem conclusão bem construída…