Uma confusão que significa

“…a sensação que experimentamos é a de que estamos absortos dentro de nós mesmos.”

Por Alano de Freitas

 

As formas confusas e risonhas de Alano de Freitas revelam com alegria e irreverencia a liberdade eu só um artista é capaz de experimentar. Não há como não se inspirar na simplicidade e segurança com que ele faz sua arte. É um presente aos olhos, janelas da alma, portas da emoção.

Uma confusão que significa, é elemento final, que dá um gosto todo especial à sua obra. Aos poucos vamos nós apegando, nos apropriando e dando um novo significado ao seu trabalho. Não há como não se encontrar em sua arte. O traçado tremido ganha, nas mãos de Alano, formas bem definidas. Propositalmente ou não, ele faz o improvável acontecer.

Nesse novo olhar, a sensação que experimentamos é a de que estamos absortos dentro de nós mesmos.

Hudson Eygo