Uma anatomia da cura

Conselhos de qualquer forma são uma espécie de nostalgia para tentar resgatar o passado. Não digo que deverá seguir de maneira completa os métodos que eu cultivei para me ajudar, ainda não estou curado, porém mantenho a esperança de um dia poder ser como outra pessoa qualquer. A grande chave para iniciar é a paciência e mantenha em mente que esperança é realmente a única coisa que o fará respirar a noite.

Minha vida, após os acontecimentos se acalmou. Fiz de tudo para reduzir o estresse do dia a dia, me afastei por um pequeno período do trabalho e foquei em artes, hoje levo uma vida basicamente normal. Saio com meus amigos nos finais de semana, jogo, me divirto, mas sempre respeitando meus limites e nunca exagerando.

Cortei quase toda a medicação,

ainda tomo os antidepressivos e frequento meu médico

periodicamente para uma nova análise.

Consigo respirar, consigo produzir.

As coisas ainda permanecem em maior parte do tempo confusas. Então veja bem, releia meus textos, me escreva… Sempre haverá uma saída, sempre haverá alguém que passa o que você passa. Não estamos sós. E nunca estaremos.

É difícil entender isso quando se está em crise, e quando ela acaba parece que foi há milhões de anos, isso difere a mania do estado depressivo.

Não consegui resgatar a minha frustração e obviamente

aceitei os novos caminhos que frutificaram em minha frente.

Estava vivendo como uma pessoa aparentemente normal.

E no final temos todos um demônio em fuga.

Pablo Murad
Advogado formado pela Unifenas - Alfenas MG, especialista em Direito de Família e Tributário. e-mail’s para contato: pblmrd@gmail.com e pablo@pablomurad.com