Sutilezas

O que vemos diz o que somos.
O que registramos diz de sermos.
É de sermos que somos.

São para visões profundas,
As coisinhas.
As de todos,
Suas, minhas.

Encontram-se nas texturas,
Entrelaçadas.
De cores puras
E misturadas.

Para vê-las
Deve-se sê-las.
E elas sendo o que somos:

Um registro apenas,
De coisinhas que nos são
Quando a elas vamos sendo.

Victor Melo