CAOS: Autoabandono é abordado em seminário clínico

Na manhã desta segunda, 21/08, aconteceram os Seminários Clínicos, dentro do Congresso Acadêmico de Saberes em Psicologia – Caos, tendo como foco a exposição de casos clínicos de violência. Na programação, foram abordados dos temas como violência psicológica, violência autoinfligida, violência física, violência sexual, dor crônica e autoabandono.

Este último tema foi apresentado por Ulisses Franklin Carvalho da Cunha, psicólogo em formação do CEULP/ULBRA, sob supervisão da Profª Me. Carolina Santin Cótica, com o título Carrasco de mim mesmo: a ressignificação da vida após anos de autoabandono à luz da fenomenologia existencial”.

Ulisses Franklin apresentando caso de violência autoinfligida

Para a fenomenologia existencial, abordagem utilizada nesse caso clínico, o ser humano possui vastos recursos dentro de si mesmo. Nisso, o acadêmico evidenciou alguns termos da psicologia que são adaptados a essa teoria, como a troca da expressão “tratamento psicológico” por “acompanhamento”; é preferível falar “encontros” ao invés de “sessões ou atendimentos”; pois antes de “psicoterapeuta e paciente”, as duas pessoas que vão a este encontro são “sujeitos”, ou melhor, “pessoas”.

O caso clínico apresentado foi de um sujeito de 34 anos, servidor público, que tem um histórico de drogadição, de diversos tipos de substâncias lícitas e ilícitas, desde os seus 15 anos de idade. Nisso, passou por diversas internações em casas de recuperação; suas relações familiares são marcadas por rompimento e fragilização de vínculos; e no que tange ao tempo que não mantêm contato com as drogas, há três meses sem recaídas, após 2 anos. Sendo que a demanda apresentada pelo sujeito era de conseguir não retornar a ser um drogadito e, consequentemente, recomeçar uma nova vida.

Nessa perspectiva, Ulisses explanou as estratégias utilizadas no caso clínico, as quais eram concordantes com as premissas da visão rogeriana, como o estabelecimento de vinculo; a relação genuína; a compreensão empática; a autenticidade; a aceitação positiva incondicional. Assim, o processo terapêutico se deu com a não rotulação do cliente, acolhendo-o, facilitando o esclarecimento de sua existência e desenvolvendo-lhe a habilidade de autoaceitação.

Por fim, o acadêmico expôs a dificuldade do manejo clínico dos encontros quando estes não são diretivos, mas que a flexibilidade exigida por sua abordagem o auxiliou a assumir uma postura profissional. Além disso, juntamente com a professora Carolina, foi ressaltado o quão importante tal processo de promoção autonomia e auto responsabilidade resultou na vida do cliente supracitado.

O Congresso

A edição de 2017 do Congresso Acadêmico de Saberes em Psicologia – CAOS, tem como tema “As Faces da Violência – Psicologia, Mídia e Sociedade”. Será uma semana para refletir sobre o exercício da psicologia nos mais diversos campos de atuação, frente as mais diversas formas de expressão da violência, para além das fronteiras da saúde, da segurança pública e das ciências humanas. O tema se configura como objeto perene de investigação científica e profissional, sobretudo na Psicologia, com foco na emancipação das subjetividades.

Serviço:

O que: Palestra e mesas-redondas

Quando: 21 a 25 de agosto de 2017
Onde: Auditório Central do Ceulp/Ulbra

Realização: Curso de Psicologia do Ceulp/Ulbra

Apoio: Conselho Regional de Psicologia – CRP-23, Prefeitura de Palmas, Jornal O Girassol, Psicotestes, GM Turismo, Coordenação de Extensão do Ceulp/Ulbra, Coordenação de Pesquisa do Ceulp/Ulbra.

Mais informações:

Coordenação de Psicologia: Irenides Teixeira (63) 999943446
Assessoria do Ceulp/Ulbra: 3219 8029/ 3219 8100
Programação e Inscrições: http://ulbra-to.br/caos/

Notícias do Evento: http://encenasaudemental.net/mural

“>