“O Pulo da Gata” no Relacionamento de uma Mulher Moderna

Inicio este texto rememorando a época romântica retratada na literatura brasileira. Período em que as moças, donzelas, senhoritas e senhoras eram cortejadas nos saraus, tão à moda europeia. Época em que as mulheres esperavam ser lisonjeadas pelos homens.  E se, acaso, quisessem saber alguma informação a mais sobre seu futuro pretendente, a sutileza, a discrição e a timidez da maioria das mulheres, daquela época, impediam-nas de tomar qualquer atitude de aproximação. Afinal, a tradição ratifica que cabe ao homem tomar a iniciativa nos relacionamentos. E as Mulheres?  Resta esperar.

O difícil é fazer as Mulheres Modernas aceitarem essa passividade tradicional no que se refere aos relacionamentos.

 

 

Esta crônica retrata, exatamente, esse “pulo da gata” nos relacionamentos dessas adoráveis Mulheres Modernas. Vamos aos fatos!

Duas amigas supermodernas estão ouvindo uma boa música, tomando um bom vinho e conversando sobre as delicadezas e imprevistos da vida. De repente, senta-se, à mesa ao lado, um homem grisalho de um charme envolventemente encantador (Interessante! Homens com cabelos grisalhos simbolizam charme, maturidade e desafio).

As amigas se entreolharam discretamente e se inicia o que Vasco da Gama não fez no caminho para as Índias, o reconhecimento do território. Primeiro, olha-se para as mãos da conquista iminente. Mão esquerda, primeiro, nenhuma aliança à vista (Posso ouvir ainda o suspiro de alívio das duas amigas) Segundo passo, observa-se a mão direita, nenhuma aliança, nem de compromisso. Ufaaa! (Agora osuspiro foi tão longo como o que daremos antes da passagem para eternidade)

E o homem grisalho parecia muito disposto a fazer novas amizades. Mas… a amiga morena reflete de súbito “E se ele estiver esperando alguém?”. A outra amiga analisa a situação com frieza “Não está esperando ninguém, porque homens com essa elegância e educação buscam a mulher em casa. Jamais a deixam chegar ao local do encontro sozinhas”. (Convenhamos que há razão nesse pensamento.)

Se essa história continuasse no cenário romântico do século XIX, as mulheres ficariam esperando uma iniciativa do sexo oposto. Se bem que, naquela época, essa história seria quase inverossímil, pois duas mulheres decentes nunca estariam sozinhas ouvindo música e tomando vinho em uma noite de céu cinza. Contudo, estamos no século XXI, retratando a vida de Mulheres Modernas. Logo, esse fato, na contemporaneidade, é perfeitamente possível.

Mulher Moderna não espera. Quando quer saber algo sobre alguém ou alguma coisa, simplesmente, ela descobre. Afinal, sua inteligência e senso de percepção são impressionantes. Então, quando o garçom se aproxima e pergunta “Boa noite, Dr. Eduardo! O de sempre?” e o homem grisalho responde com um sorriso discreto nos lábios “Sim e com bastante gelo”, as amigas iniciam o processo de dossiê informativo acerca daquele homem que já não é tão desconhecido.

Primeiro, se ele falou com o garçom, teoricamente, deve ser uma pessoa que mora na cidade ou que a visita com muita frequência. Segunda constatação, se ele pediu gelo, realmente é um homem sofisticado, pela preferência por um possível destilado.

Antigamente, para se saber mais sobre a vida de qualquer pessoa, era preciso recorrer a páginas e páginas de documentos, às vezes, secretos. Hoje, tudo mudou. Se possuímos o primeiro nome da pessoa, não é preciso mais percorrer os corredores soturnos do desconhecido, basta pegar o celular e acessar o fabuloso FACEBOOK.

Foi exatamente o que as amigas fizeram. Acessaram o face, digitaram EDUARDO PALMAS e se iniciou a busca. Acontece que, simplesmente, foram localizados infinitos “Eduardos de Palmas”. Contudo, mulher moderna é persistente e organizada. Por isso, a amiga morena determinou “Eu procuro os trinta primeiros e você, os outros trinta. E assim sucessivamente.”

Calma, leitor! Mulher Moderna sabe o que faz. Então, no décimo “Eduardo de Palmas”, lá estava o grisalho sedutor. Foi inevitável o sorriso de conquista e o brinde da vitória. (Acredito que as amigas se sentiram como Vasco da Gama chegando às Índias) O navegador português e sua esquadra navegaram oceanos desconhecidos. Elas, as mulheres modernas precisaram também navegar, só que NAVEGARAM NA INTERNET para alcançar seu objetivo.

Acesso ilimitado ao facebook da conquista permitiram significativas descobertas. No facebook dele não constava a informação RELACIONAMENTO SÉRIO, logo se torna bem mais provável que ele, realmente, não seja casado. Por isso, descartou-se a ideia de ele estar escondendo a aliança no bolso.

Os amigos dele deixavam postagem, no face, do tipo “Boa pescaria, amigão”. Logo, deduz-se que ele é bem relacionado e tem amigos de longa data. Observou-se, também, que ele curte páginas de rock (A amiga morena quase morreu de felicidade com esta constatação) E, o mais importante, várias mulheres curtem as publicações dele, mas ele curte muito pouco as publicações das outras mulheres. O que isso significa? Que ele não é empolgado e, sim, discreto. Encontrou-se até o face de seu último relacionamento. Como? Pela quantidade de curtidas que os dois trocavam em suas postagens. E, com o tempo, as curtidas foram ficando escassas, até desaparecerem.

E, lá em cima no seu perfil estava estampado o seu sobrenome. E agora? Continuar navegando, só que em um mar chamado Google. Pesquisando nome e sobrenome descobre-se que o Eduardo é engenheiro civil, mora na cidade, lote, alameda e…. até o número do telefone. Santa internet!

E tudo isso descoberto, assim, na frente dele, em minutos e com a maior discrição. Mulheres Modernas e Tecnologia – associação perfeita.

Agora, deixa-se a internet de lado e se recorre à tradicional conquista “Olhos nos olhos”. Ah! Qual das amigas? A morena, é claro!

Previsivelmente, alguns olhares depois, Eduardo se levanta e se dirige até á mesa das amigas e pergunta “Posso lhes fazer companhia”. Ouviu-se um discreto “SIM”.

A amiga morena iniciou a conversa falando sobre o PAC- Plano de Aceleração do Crescimento e o desenvolvimento da área de engenharia.

Quando ele perguntou qualo seu esporte preferido, ela respondeu “Não tenho nenhum específico, mas adoraria saber um pouco mais sobre PESCARIA”.

Eduardo sorriu diante de tanta “coincidência”…..

E o final? Sabedoria, segurança e discrição Mulher Moderna tem em excesso. Logo, o final dessa crônica é tão previsível que deixo para vocês, leitores, a finalização desta narrativa.

 

 

Afinal, crônica sobre MULHER MODERNA surpreende, inclusive, na finalização do texto. Mulheres Modernas e seus encantos, enigmas e surpresas, realmente, dignas desse “Pulo da Gata” Porque ter iniciativa inteligente é sinônimo de Mulher Moderna.

Elienai Ferreira de Oliveira
Mestre em Letras, com ênfase em Linguística. Professora de Comunicação e Expressão do CEULP/ULBRA. Amante das Letras e da Literatura. Colaboradora do (En)Cena.
Autor / Co-Autores: